Anuncio 2
Fernando Haddad
Durante a sua passagem pelos Estados Unidos, Haddad disse que o Brasil pode crescer com governo de Bolsonaro
"Vamos ter crescimento em 4 anos porque estamos há 4 anos sem crescer e isso vai dar um respiro para o governo."
Blog Oficial da Fan Page Garanhuns MINHA Cidade

Blog Oficial da Fan Page Garanhuns MINHA CidadeBlog Oficial da Fan Page Garanhuns MINHA Cidade

05/12/2018 02h50Atualizado há 5 meses
Por: Jonathas William J.W (Garanhuns MINHA Cidade)

Ex-candidato do PT à presidência da República, participou na semana passada de um debate na Universidade de Columbia, em Nova York, sobre os desafios de enfrentar a nova direita populista.

No início de sua palestra, o petista também fez questão de ressaltar a política ambiental de prevenção do efeito estufa. Segundo Haddad, as mudanças climáticas já são realidade e cabe ao ser humano evitar uma catástrofe no meio ambiente.

“Quando você defende o direito ambiental, você está defendendo o direito de outras gerações a morar em um lugar com minimamente condições confortáveis. E no Brasil todas as questões de direitos estão, de certa maneira, em xeque”.

O discurso veio justamente na mesma semana em que o Brasil desistiu de sediar a Conferência do Clima de 2019 por um pedido do presidente eleito Jair Bolsonaro. O capitão reformado já deixou claro que discorda de algumas obrigações do “Acordo de Paris”, que visam diminuir a produção de gases que provocam o efeito estufa.

Falando sobre a situação econômica do Brasil e a previsão para o futuro,  Fernando Haddad, alegou indiretamente que o governo de Jair Bolsonaro vai levar o Brasil ao certo crescimento. Haddad fez um diagnóstico de que a gestão de Bolsonaro poderá ter bons resultados econômicos a médio prazo.

“Temos que nos prevenir: ele vai adotar o neoliberalismo radical”, disse, referindo-se a Bolsonaro. “Em primeiro lugar gera um fluxo de caixa muito importante e dá fôlego, com a venda de ativos estatais, o que ocorreu com o primeiro mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com a venda de estatais, o que bancou a sobrevalorização do câmbio por quatro anos”, apontou. “Vamos ter crescimento em 4 anos porque estamos há 4 anos sem crescer e isso vai dar um respiro para o governo.”

Críticas a aliança com conservadores 

Na avaliação de Haddad, o novo governo também adotará uma agenda próxima a grupos religiosos conservadores. “A pauta do fundamentalismo alimenta o espírito e não o estômago, mas isto também está no jogo político.” Ele destacou que o presidente pode ressaltar que vai “intervir na escola pública e que seu filho não tem risco de ser gay.” Para o ex-candidato a presidente, é preciso adotar cuidado para avaliar o futuro da administração Bolsonaro. “Não pode ver como dado o fracasso, que pode ocorrer, mas não é pressuposto da nossa avaliação.”

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Garanhuns - PE
Atualizado às 01h31
20°
Muitas nuvens Máxima: 28° - Mínima: 20°
20°

Sensação

13.2 km/h

Vento

96.7%

Umidade

Fonte: Climatempo
Anuncio ao lado de mais lidas
Banner sessão 1 Tyoflan (esportes)
Municípios
GastroMED
Últimas notícias
Crianças
Mais lidas
Anúncio