Sexta, 20 de Maio de 2022
23°

Pancada de chuva

Garanhuns - PE

Agricultura Santa Catarina

Santa Catarina atualiza legislação estadual para proteger os rebanhos da peste suína africana

Para manter a saúde de seus rebanhos, Santa Catarina reedita as normas que tratam de alimentação animal. Nesta quinta-feira, 20, a Secretaria de Es...

21/01/2022 às 14h50
Por: Central Fonte: Secom Santa Catarina
Compartilhe:
Fotos: Ricardo Wolffenbuttel/Secom
Fotos: Ricardo Wolffenbuttel/Secom

Para manter a saúde de seus rebanhos, Santa Catarina reedita as normas que tratam de alimentação animal. Nesta quinta-feira, 20, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural publicou a Portaria nº 2/2022 que renova a proibição de alimentar bovinos, búfalos, suínos, caprinos e ovinos com restos de comida ou resíduos de origem animal.

Com a medida, a Secretaria da Agricultura intensifica as ações para manter a saúde dos rebanhos catarinenses. Os restos de alimentos (como os das refeições da família, de restaurantes ou hospitais) podem ser uma fonte de contaminação para doenças graves, como a peste suína africana, peste suína clássica e a febre aftosa. 

Os animais devem ser alimentados com ração apropriada e isso é válido tanto para quem tem a criação para consumo próprio quanto para fins comerciais.

O diretor de Defesa Agropecuária da Cidasc,  Diego Torres Severo, ressalta a importância da conscientização de todos já que a ocorrência de qualquer uma dessas doenças pode trazer prejuízos incalculáveis para Santa Catarina.

“Para combater o fornecimento de restos de alimentos aos animais, a equipe técnica da Cidasc realiza fiscalizações em propriedades e estabelecimentos que possam estar vendendo ou fornecendo restos de comida para alimentar animais. Também é realizado trabalho educativo, orientando os produtores. Essa é uma medida importante para protegermos nosso agronegócio", afirma. 

A Portaria proíbe ainda a criação e a permanência de animais em lixões, bem como o recolhimento e a utilização de restos de alimentos destes locais para alimentá-los. Os animais, os restos de alimentos e os resíduos de origem animal encontrados nessas condições serão apreendidos, sacrificados ou destruídos sanitariamente, não cabendo indenização aos proprietários.

Santa Catarina atualiza legislação estadual para proteger os rebanhos da peste suína africana
Foto: Reprodução/Secom Santa Catarina

Importância do agronegócio para a economia de SC 

O agronegócio é o carro-chefe da economia catarinense, responsável por quase 70% de toda exportação e por mais de 30% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. As agroindústrias empregam mais de 60 mil pessoas de forma direta e contam com 55 mil famílias integradas no campo. A produção catarinense é exportada para mais de 150 países, entre eles os mercados mais exigentes e competitivos do mundo.

Peste Suína Africana

A peste suína africana (PSA) está presente em mais de 50 países, entre eles, a República Dominicana e o Haiti - este é o primeiro registro da doença no continente americano desde a década de 80. A PSA é uma doença viral que não oferece risco à saúde humana, mas pode dizimar criações de suínos, pois é altamente transmissível e leva a altas taxas de mortalidade e morbidade. A última ocorrência de PSA no Brasil foi registrada em 1981 e, desde 1984, o país é livre de peste suína africana.

Garanhuns - PE Atualizado às 17h07 - Fonte: ClimaTempo
23°
Pancada de chuva

Mín. 20° Máx. 29°

Sáb 24°C 20°C
Dom 23°C 20°C
Seg 23°C 18°C
Ter 25°C 18°C
Qua 25°C 19°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias