Quarta, 27 de Janeiro de 2021 16:19
(87) 9.8130-1122
Esportes Diego Maradona

Morre aos 60 anos o mito Diego Maradona, maior ídolo do futebol argentino

Eterno camisa 10 da Argentina sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa na Argentina não resistiu. Ele tinha acabado de completar 60 anos, em 30 de outubro

25/11/2020 14h00 Atualizada há 2 meses
Por: Jonathas William J.W / Garanhuns Notícias
Maradona conduziu a Argentina ao título mundial de 1986 no México. Foto: Agência Estado 1986
Maradona conduziu a Argentina ao título mundial de 1986 no México. Foto: Agência Estado 1986

Diego Maradona, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, morreu na manhã de hoje, aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. Ele estava em sua casa, em Tigre, cidade vizinha de Buenos Aires. A informação foi confirmada pelo biógrafo do jogador.

A saúde de Maradona já estava precária desde o início do mês, quando ele foi operado de um hematoma subdural e depois, por decisão familiar e médica, permaneceu hospitalizado devido a uma "baixa anímica, anemia e desidratação" e um quadro de abstinência devido ao vício em álcool.

Maradona passou mal pela manhã. Segundo a imprensa argentina, seis ambulâncias foram chamadas para atender o ex-jogador, mas os médicos não conseguiram salvá-lo.

Antes dos problemas de saúde, o campeão mundial pela Argentina em 1986 era o técnico do clube Gimnasia y Esgrima La Plata.

O craque das Copas

Maradona estreou pela seleção da Argentina em 1977 com apenas 16 anos. E mesmo já sendo um craque, acabou não sendo convocado para a Copa de 78, em casa, que registrou o primeiro título argentino.

O sucesso no Mundial veio oito anos depois, em uma atuação antológica na Copa do México. Maradona levou a Argentina ao bicampeonato e fez dois gols que entraram para a história: um driblando toda a defesa da Inglaterra, e outro com a "Mão de Deus", também contra os ingleses.

Maradona ainda teve uma outra chance de ser campeão do mundo. Em 1990, após eliminar o Brasil, ele levou a Argentina à final contra a Alemanha, mas acabou sendo derrotado.

O craque ainda fez a sua despedida dos gramados de Copa em 1994, mas foi de uma maneira melancólica. No Mundial dos Estados Unidos Maradona foi flagrado no exame antidoping.

Início da carreira

Nascido em Lanús, em 30 de outubro de 1960, Maradona, desde os nove anos se destacava nas peladas de rua na periferia de Buenos Aires. Jogava também pela equipe "Los Cebolitas".

Foi apresentado ao treinador, Francis Cornejo, das categorias de base do Argentinos Juniors e encantou pelo repertório de seu futebol, com uma canhota habilidosa, controle de bola e chutes precisos, acima da média para a sua idade.

O treinador teve de convencer os pais de Maradona, Dalma Salvadora Franco, e Diego Maradona, a aceitarem que o menino passasse a treinar no clube.

Depois que ele começou, sua carreira deslanchou de forma rápida, com multidões se acumulando no pequeno estádio (hoje chamado Diego Armando Maradona) para ver a revelação jogar. Maradona tinha outros sete irmãos: Hugo (que também foi jogador), Raúl, Rita, Maria Rosa, Ana Maria e Cláudia.

No time de coração

Atuou entre 1976 e 1981 no Argentinos, tendo marcado 149 gols em 166 jogos. Em 1981 foi emprestado ao Boca, que sempre foi seu clube de coração. Naquele ano ganhou seu único título pelo clube, o do Campeonato Metropolitano, terminando como destaque e artilheiro, com 17 gols.

Àquela altura, já havia sido convocado para a seleção argentina, aos dezessete anos. Mas com 19, defendeu a seleção sub-20 (antes chamada de juniores) e conduziu o time ao título mundial da categoria, na Rússia (então União Soviética), em 1979. Uma grande frustração foi não ter sido convocado pelo técnico Cesar Menotti para a Copa do Mundo de 1978.

Barcelona e Napoli

Em uma escursão do Boca Juniors pela Europa, passou a despertar interesse em clubes do continente, tendo se transferido em 1982 para o Barcelona, onde teve grandes atuações. Mas, por sua personalidade irreverente, permaneceu por menos de dois anos, mesmo tendo conquistado o Espanhol e a Copa do Rei em 1983, além da Supercopa da Espanha em 1984.

Como se fosse algo predestinado, se transferiu para o Napoli, um clube que nunca havia conquistado títulos nacionais, e fez a equipe se tornar a maior da Itália naquele período.

Graças às suas atuações, o Napoli ganhou seu primeiro Campeonato Italiano em 1987, repetindo a dose em 1990. Pelo Napoli, Maradona ainda foi campeão da Copa da Itália, em 1987; da Copa da UEFA, em 1989 e da Supercopa da Itália, em 1990.

Polêmicas

Polêmico, ardoroso defensor de causas da esquerda, ele se desentendeu com dirigentes, como o então presidente da Fifa, Joseph Blatter, a quem cumprimentou com frieza ao receber a premiação pela segunda colocação da Argentina na Copa de 1990. Na ocasião, Maradona estava aos prantos, mostrando toda a devoção que tinha pela camisa de seu país.

Maradona disputou ainda a Copa de 1994, aos 34 anos e, tendo iniciado bem a competição, com um golaço contra a Grécia, acabou sendo suspenso quando foi flagrado em um teste de doping, que teria detectado efedrina, norefedrina, pseudoefedrina, norpseudoefedrina e metaefedrina – estão presentes em descongestionantes nasais - antes do segundo jogo, contra a Nigéria.

Ele jurou nunca ter se dopado e garantiu que foi vítima de uma cilada para arranhar sua imagem e impedir o título argentino.

Maradona permaneceu no Napoli até 1991. Sua saída teve também relação com um certo desgaste ocorrido em função dele ter se irritado na Copa do Mundo na Itália, quando a seleção argentina foi vaiada durante o hino.

Com informações: Uol / Reuters

Garanhuns - PE
Atualizado às 16h12 - Fonte: Climatempo
28°
Muitas nuvens

Mín. 18° Máx. 29°

28° Sensação
30.6 km/h Vento
48.7% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (28/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 30°

Sol com algumas nuvens
Sexta (29/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 30°

Sol e Chuva
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias